Resenha do livro O Menino do Pijama Listrado.

0
689

O Blog GR – Mostrando Minhas Paixões…

Resenha do livro O Menino do Pijama Listrado.

Olá, grupo de leitores! Tudo bem com vocês?

O Menino do Pijama Listrado é uma livro emocionante, comovente e muito reflexivo. Escrito por John Boyne, um grande escritor, na minha opinião. O livro é narrado por uma criança, o Bruno, que faz com que a narração se torne tão interessante. Pois a inocência dele e do seu amigo, o Shmuel, deixa a trama comovente pela amizade dos dois. Outro ponto chave do livro é que a história acontece na época do Nazismo.

A leitura começa quando Bruno e sua família deixam Berlim, vão morar em Haja Vista, a casa fica  próxima demais do campo de concentração em Auschwitz.

Quando morava em Berlim, Bruno gostava de explorar sua casa. Na casa em Haja Vista, não foi diferente. Bruno começou a explorar, descobriu uma janela que dava pra ver o campo de concentração, sem entender nada, falava que eram pessoas de pijamas listrados.

Sua exploração foi além de sua casa e o levou à cerca que dividia o campo de concentração. Nisto, encontrou Shmuel, uma criança judia, que ele chamou de “o menino do pijama listrado”. Começou assim uma grande amizade.

Bruno, às escondidas, encontra o amigo sempre, quase todos os dias naquela cerca. Leva comida e conversam sobre a vida deles. Bruno conta sua vida, uma vida boa. Já Shmuel, partilha sua vida sofrida, mesmo sem compreender nada, lembra com saudade de seu pai, que foi retirado da convivência deles.

Certo dia, estavam eles conversando, um de cada lado da cerca (a cerca dividia os dois sempre), quando Bruno resolveu passar para o outro lado e ajudar Shmuel encontrar o seu pai, pois Shmuel pensava que seu pai estava perdido no campo de concentração. Bruno vestiu o uniforme dos judeus. Quando procuravam pelo pai de Shmuel, ouvia-se apitos, eram os soldados nazistas reunindo os judeus para o holocausto.

Uma história muito linda e triste. Super recomendo.

Termino a resenha com as últimas palavras desses dois amigos.

“Você é o meu melhor amigo, Shmuel”, disse ele. “Meu melhor amigo pra vida toda.” Shmuel poderia ter aberto a boca para responder alguma coisa, mas Bruno não teria escutado porque neste instante ouviu-se o alto ruído de todos os que haviam marchado para dentro engolindo em seco, enquanto a porta da frente foi subitamente trancada e um forte barulho metálico ecoou vindo de fora. Bruno ergueu uma sobrancelha, incapaz de compreender o sentido daquilo tudo, mas presumiu que tivesse algo a ver com a necessidade de manter a chuva longe e impedir que as pessoas ficassem resfriadas. E então o cômodo ficou escuro e de alguma maneira, apesar do caos que se seguiu, Bruno percebeu que ainda estava segurando a mão de Shmuel entre as suas e nada no mundo o teria convencido a soltá-la (…).

Espero que gostem e que tenham a oportunidade de lê-lo.

Até o próximo, Fiquem com Deus!!!

Beijos ♥♥♥

Deixe seu comentário...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here